Acontecendo

Tô me sentindo um pouco tonta, enjoada e com uma dor de cabeça bem insistente. Pode ser por conta da minha má alimentação, nervosismo, esquecimento do antidepressivo ou meu inconsciente querendo mostrar alguma coisa.

Carga negativa. Algumas pessoas têm isso e nos transferem.

Sen-or! Como é difícil ser psicóloga em um CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) em uma sociedade machista. Ouvir absurdos e ficar calada, ouvir que o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) nem deveria existir.

Que tipo de feminista eu sou? Que tipo de ser humano eu sou?

Bateu na mulher e na filha a vida toda e elas que são malucas, elas que são erradas. É tão difícil ser neutra em certas situações. Eu sinto a dor dele, mas a dor delas, pela Deusa, eu sinto tão mais forte, é tão mais fácil e até automático ter empatia por elas.

Me sentindo destruída, quase um lixo. Mas não sou assim, eu sou legal.

Anúncios

Título

Falar sobre não saber o que escrever. Aí que a gente tem que se forçar? Por que eu tô querendo postar coisas aqui? (SENDO QUE NINGUÉM LEU NADA PQ EU NÃO DIVULGUEI, E MESMO SE…)

Vamos falar sobre a Síndrome do Intestino Irritável. Fui diagnosticada por uma best, ele tem muito conhecimento de causa. Best de best friend. Não de besta, eu já ficaria me perguntando: será que ela esqueceu de colocar o A?!

Tô tomando café e nem deveria. Faz mal. Café, chocolate, pimenta, delícias em geral. Será que eu penso que são delícias pq são mesmo, ou porque me acostumei a pensar dessa forma?

Fico pensando no tanto que a nossa cabeça nos engana e ao mesmo tempo mostra as verdades. É, acho que pensar demais não ajuda. Só que aí eu penso: Foi por pensar demais que eu tô aqui hoje. E cá entre nós, eu não tô na pior não, viu?

?

Eu penso muito, quase sempre. Por que é que eu tomo decisões impulsivas então? Será que eu penso rápido? Decisões tomadas pelo impulso são sempre ruins? Sempre e nunca; Essas palavras deveriam existir?

Esse rascunho tá salvo há um tempão (nem tanto), então vou postar assim mesmo. Vai que né.

Apresentação; Primeira conversa; Primeiro desabafo; EU.

Tentando ser sincera, na medida do possível. Escrever o que vier à cabeça.

A ideia desse site/blog surgiu, dessa vez, porque uma amiga também criou um e eu fiquei com vontadinha. Já tive alguns blogs, mas não dei continuidade. Não quero que este tenha relação com aqueles, e não terão.

Estou me sentindo empoderada já e, ao mesmo tempo, finalmente. “Já” porque acho que está cedo pro blog surtir efeito positivo (empoderamento) sobre mim. E “finalmente” porque já era hora, há tempos tenho subsídio moral pra me sentir empoderada, porém, se trata de um processo. Apesar de que pode se tratar também de um “estalar de dedos”.

Não escolhi um assunto pra falar, nem um tema. Vai que eu nem escreva mais nada aqui.

Eu posso escrever o que eu quiser. Ser e pensar, e tudo que vêm disso aí.

Obrigada!

Obrigada?

Sim, obrigada.

E ao mesmo tempo, de nada.